Som e Imagem
Templarluz - Cinema em Casa

 

  • Cinema em Casa FAQ

A são muitas as perguntas colocadas à TemplarLuz sobre a melhor forma de fazer evoluir o seu equipamento áudio e vídeo. Assim deixamos aqui algumas dessas questões.

 

Vídeo

  1. A imagem com um ecrã Full HD é melhor do que com um ecrã HD Ready? Sim. Mas a qualidade depende sempre da conectividade e da qualidade da fonte. No separador Vídeo esclarecemos mais a fundo esta questão.
  2. Deve-se privilegiar um produto com tuner TDT? Sim quer seja um gravador, ou um televisor, dependendo agora de que tipo utilização que teremos, poderemos optar por um destes equipamentos com tuner TDT integrado, tornando-se num verdadeiro critério de compra.
  3. O que valem os ecrãs com disco rígido? Poucas ainda são as marcas que propõem este tipo de produtos. Esta solução é bastante atractiva, e evita comprar um dispositivo com gravação HDD. Deve-se ter em atenção com os formatos áudio/vídeo suportados pelo televisor para leitura e gravação.
  4. Será a projecção DLP melhor que a projecção LCD? Não, porque as duas tecnologias fizeram ambas bastantes progressos. Portanto na escolha de vídeos projectores não o escolha pela tecnologia usada.
  5. Como escolher a distãncia focal do projector? A distância de projecção depende da distância focal do projector e da potência da lâmpada do mesmo. Mas pode-se adiantar que uma dist. focal curta é bem-vinda e que a altas resoluções, a imagem pode-se "espalhar" mais, conservando uma boa definição.
  6. Os circuitos/conectividade usada no tratamento de vídeo são importantes? São fundamentais e indispensáveis. Porque as fontes são variadas e com caracteristicas (especialmente resoluções) diferentes, sendo que a imagem pode ficar escalada, perdendo assim uma boa definição.
  7. Serão os PC Media Center uma boa alternativa? Sim, porque as propostas actuais oferecem um grande conforto e qualidade de utilização, confinando num só dispositivo todo o universo informático, multimédia e de entretenimento.

 

Alta Definição

  1. A alta definição vai torna-se na norma tecnologica do futuro? A longo prazo sim, sendo já realidade que a mudança está a ser feita de forma progressivamente, tentando já disponibilizar os mais diversos conteúdos em HD.
  2. Qual é a dimensão de ecrã ideal? O maior possível! Pois é em ecrãs de grandes dimensões que a alta definição se diferencia da definição standard.
  3. Que fontes escolher para ver Alta Definição? Via disco ópticos, tais como HD DVD e Blue-ray. Ou utilizar fontes de TV em HD, como é o exemplo da TDT e alguns canais via satélite, como é o exemplo, da BBC, difundindo livremente vários canais, em que um deles é a BBC HD.
  4. Uma fonte HD (high definition) pode difundir fontes SD (Standard Definition)? Sim, mas o contrário não é verdade. Nestas condições torna-se ainda mais fundamental a qualidade das conecções e do circuito, uma vez que se a qualidade já é pouca, não a devemos detiorar ainda mais.
  5. O leitor HD pode susbstituir o leitor DVD actual? Sim os leitores HD com capacidade de ler formatos HD DVD e Blue-ray são retro-compatíveis, podendos ler nas melhores condições um DVD.
  6. Podemos gravar programas HD? Sim, com um gravador compatível com o formato de difusão, ex: MPEG-4 para a TDT.
  7. Existe diferença de qualidade entre Blu-ray e HD DVD? Não, os dois formatos de disco óptico apresentam uma qualidade de imagem equivalente.
  8. A Alta definição ainda pode evoluir? Sim, podemos imaginar uma evolução para a "super alta definição", já que muitos dos fabricantes apresentam protótipos de ecrãs de qualidade 16x superior ao Ful HD actual.
  9. Qual é o resultado com uma imagem SD "upscalada"em HD? Uma imagem standard colocada à escala de uma de alta definição não apresenta uma imagem tão definida eprecisa como a imagem de alta definição, apenas consegue imitá-la.

 

Áudio

  1. É necessário mudar de amplificador para a Alta Definição? Não forçosamente, tudo depende das capacidades do leitor HD. Sendo que existe várias configurações possiveis (como pode ver no separador de som de alta definição). Basicamente para não o substituir, o leitor HD tem de integrar os descodificadores de audio adequados, sendo que os sinais de áudio HD são então tratados no interior do leitor e a seguir transmitidos a um amplificador tradicional, em digital (HDMI) ou em analógico (entradas 5.1/7.1).
  2. Quais são os formatos áudio HD dos discos ópticos HD? Depende dos títulos e do formato no qual são comercializados.
  3. Porque privilegiar uma HDMI num amplificador? Porque se trata de uma ligação áudio/vídeo 100% digital sem coversão nem compressão. Os sinais áudio e vídeo são por isso transmitidos sem nenhuma alteração desde a fonte até à difusão.
  4. A calibragem automática é util? Sim, porque simplifica de forma radical a configuração do amplificador. Por exemplo, ao colocar um microfone (ligado ao amplificador) ao nível da posição de escuta habitual e carregar na tecla "calibragem automática" para lançar a operação.
  5. Quantas colunas para o "cinema em casa"? Uma configuração 5.1 é obviamente a base do conceito "home cinema". Mas se tiver um espaço acima de 20 m2, aconselha-se os 6.1 ou até os 7.1.
  6. Como instalar uma rede áudio "multiroom"? Esta opcção nos amplificadores tradicionais, é somente a capacidade de sonorizar em stereo uma segunda zona. Outra solução é equipar-se com um verdadeiro sistema "multiroom", composto por uma central para as duas salas.
  7. Os sistemas áudio 2.1 reproduzem bem o áudio multicanal?Não. Trata-se apenas de uma simulação da restituição multicanal e o resultado está longe de fazer concorrência ao sistema 5.1
  8. O "cinema em casa" sem fios existe mesmo? Não, trata-se de um mito! Ainda não conseguimos distribuir sinais sonores 5.1 de qualidade igual à ligação com fios. Quando se fala no termos sem fios, é apenas um abuso de linguagem, pois quando se usa estamo-nos a referir a colunas sorround não ligadas à base do amplificador, mas ligadas à corrente: recebendo os seus sinais graças a um receptor funcionando por ondas de rádio.
  9. Pode-se utilizar as colunas de um ecrã plano como via central numa instalação 5.1? Sim, é uma solução interessante que permite evitar a instalação da coluna central, a qual nem sempre é facil de instalar numa parede com um ecrã plano. Embora a televisor deverá possuir entrada áudio ou as colunas do televisor equipadas com entrada para altifalantes. Depois deverá se ajustar o som do canal central, no amplificador, de modo que o timbre se iguale, ou se aproxime do timbre das colunas do canal frontal.
  10. Como criar uma 6ª ou 7ª via? Utilizando um dos modos de espacialização do amplificador áudio/vídeo. Sendo que os dois modos melhor adapatados e mais evoluídos: Dolby Pro-Logic e o DTS Neo:6.

 

Conéctica

  1. Porque privilegiar uma HDMI 1.3? A versão 1.3 da interface HDMI melhora a largura de banda, acrecenda ainda a tecnologia "Deep color", oferecendo uma reprodução de vários milhões de cores, e a tecnologia Lypsync, melhorando a sincronização áudio/vídeo. E garante uma compatibilidade 100 % com os formatos HD 1080p, mas também com formatos de áudio de alta definição.
  2. A imagem em HDMI será melhor do que com uma ligação analógica? Sim, uma vez que evita circuitos de conversão digital/analógico, mantendo-se o sinal, numa ligação HDMI, totalmente fiel à fonte. Mas a interface HDMI não constitui, por si só, uma garantia de qualidade, dependerá sempre da qualidade da fonte.
  3. Existem cabos HDMI de qualidade diferente? Sim. Apesar da qualidade dos componentes ser menos determinante do que nas ligações analógicas, a qualidade da blindagem e da capacidade de ligação do conector permitem fazer a selecção entre bons e maus. Devemos sim, dar valores a revestimentos em ouro dos conectores, e a pequenos comprimentos dos cabos.
  4. As ligações analógicas permitem transportar a Alta Definição? Se sim, até que resolução? Apenas a ligação YUV permite a difusão de um sinal vídeo HD, e sem limite téorico de definição, embora certos fabricantes "estreitam" o sinal HD em saidas anlógicas (até uma resolução equivalente ao standard DVD). Se não for o caso, a ligação YUV permitirá a transmissão de sinais de vídeo HD 720p e 1080i, sem grande alteração do sinal (exceptuando as conversões D/A e A/D).
  5. A ligação Ethernet é indespensável num leitor, num outro terminal de vídeo? Não, mas a sua presença facilita bastantes as coisas. Exceptuando a maioria dos media centers, a ficha ethernet permite apenas, na maioria dos aparelhos, fazer o "download" de actualizações de forma actuamática. Pode ainda nas ligações via satélite validar as funções "pay-per-view". Em alguns leitores de formatos ópticos, permite aceder a contéudos áudio/vídeo extra ou a webradios.
  6. Que ligação para o som: HDMI, fibra óptica, RCA? A HDMI é a ligação aconselhada, pois permite a transmissão num único cabo qualquer sinal áudio digital sem qualquer compreessão. Em certos casos poderá se utilizar as saídas anlógicas 5.1/7.1, para a difusão do audio, isto quando o leitor incorpora os descodificadores necessários (ver as possíveis configurações no separador de som de alta definição). Denoto ainda que as tomadas digitais (óptica e coaxial) só aceitam os sinais Dolby Digital e DTS.

 

Integração

  1. Existem dimensões da divisão ideias para a instalação "cinema em casa"? Não, existem apenas dimensões ideais para a acústica de qualidade. Para além destas dimensões, teremos ter em consideração a distância minima que se deve de ter ao ecrã (separador do televisor), devendo-se deixar um espaço igual ou duas vezes o tamanho do ecrã, mais 1/3 deste, isto quanto ao comprimento, para os lados deve-se deixar cerca de 1/3 do tamanho da base do ecrã. Com isto os altifalantes traseiros deverão de estar a mais de 1 metro de distancia dos assentos mais próximos. Ao nível de altura, deverá ser igual à base do ecrã. Não dispensando com estas dimensões, um bom isolamento sonoro, e um tratamento acústico mínimo.
  2. Como isolar correctamente o meu espaço "cinema em casa"? Para isolar o seu espaço é preciso "cortá-lo", deslocando-o do resto da casa. Primeiro ponto a ter em atenção é a porta de entrada. Uma porta dupla com alguma protecção forrada é a melhor solução. No chão a colocação de alcatifa por cima de uma sub-camada isoladora é a solução indicada. Para as paredes e tecto, recomenda-se a aplicação de uma camada de 75 mm (mínimo) de - por exemplo - lã de rocha antes de se colocar o pladur.
  3. Será preciso investir em produtos de tratamento acústico? Uma vez que a etapa de isolamento se encontra terminada. A instalação de materias como (madeira, tecido, alcatifas,cortiça...) é bem benvida, não necessitando de um investimento em produtos específicos.
  4. As partes áudio/vídeo e as colunas devem estar visíveis ou escondidas? O ideal para as partes áudio/vídeo é que não fiquem no campo de visão dos espectadores, evitando assim os leds dos aparelhos. Quanto às colunas, estas podem ser facilmente camufladas com tecidos acusticamente transparentes, embora a tendência é considerar os altifalantes como verdadeiros objectos de arte e decoração da sala de cinema em casa.
  5. As paredes brancas são uma boa base de projecção? A tela contituí a solução mais frequente e também mais económica. Embora a projecção numa parede revestida com uma pintura acrílica mate, também pode ser considerada. O importante em qualquer um dos casos é delimitação da zona de projecção, pois o ecrã deverá ser delineando com contornos escuros de forma a deixar bem claro os limites físcos do mesmo.
  6. A videoprojecção tem de ser feita na escuridão? Ao contrário dos projectores multimedia destinados às apresentações professionais, os modelos "home cinema" requerem uma total escuridão para melhor projecção.
  7. Pode-se colocar o projector por cima dos espectadores? Sim, na condição que o nível de ruido do circuito de ventiliação não ultrapasse os 30 db. O ideal continua a ser colocar o aparelho num espaço específico no fundo da sala ou numa divisão ao lado com (apenas) um buraco na parede para deixar passar a objectiva.
  8. Onde colocar os elementos áudio/vídeo na sala? Nunca no campo de visão dos espectadores, evitando assim os leds incomodativos dos aparelhos, ou seja deve-se colocar no fundo da sala ou num dos lados, ou ainda num local técnico.
  9. Porquê criar zonas de iluminação num "cinema em casa"? O objetivo desta sala é simular o mais possível, se não melhorar, as condições de um cinema, logo não podemos esquecer da iluminação, tornando a sala o mais confortável possível, com aplicação de funções, tais como, variação da intensidade luminosa, com controlo remoto, etc...
  10. O que é melhor: alcatifa ou outro material? No chão, o material mais indicado é a alcatifa, sendo o mais confortável, e o mais isolante em termos de isolamento e absorção acústica.
  11. É necessário um comando universal? Numa sala, com variadíssimos dispositivos a serem controlados via controlo remoto, torna-se imperativo o uso de um comando universal, de maneira a conciliar o controlo de dispositivos áudio/vídeo, estores (se tiver), luzes, etc...
  12. Onde encontrar cadeiras, e todo o equipamento de "cinema em casa"? A TemplarLUZ terá todo o prazer em aconcelhar e fornecer qualquer tipo de material... Se necessitar mais algum esclarecimento, ou se já têm a sua ideia feita, não exite em comunicá-la à TemplarLUZ, tornando a sua ideia realidade.

 


Auditórias Energéticas KNX PARTNER Alvará INCI Nº 60345 REC Solar Professional